Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • Pieter Wispelwey move-se com igual à-vontade nos repertórios barroco e moderno. Através de uma apurada consciência estilística, combinada com originalidade e fenomenal domínio técnico, conquistou tanto a crítica como o público ao interpretar um vasto repertório, desde J. S. Bach a Schnittke, Elliott Carter e às obras que lhe têm sido dedicadas.

    Ao longo da sua carreira tem-se apresentado como solista nos cinco continentes como convidado das principais orquestras do mundo, destacando-se as Sinfónicas de Boston, Dallas, Sidney, BBC e BBC Escocesa, a St Paul Chamber Orchestra, as Filarmónicas de Tóquio e Londres, a Orquestra Hallé, a Orchestra of the Age of Enlightenment, a Academy of Ancient Music, a Orquestra da Gewandhaus de Leipzig, a Sinfónica da Rádio Dinamarquesa, a Orquestra do Festival de Budapeste, a Camerata de Salzburgo e as sinfónicas japonesas NHK, Yomiuri Nippon e Sapporo.

    Em 2012 apresentou, numa única sessão, a integral da Suites para violoncelo de J. S. Bach, um feito que captou a atenção internacional e a aclamação da crítica europeia e norte-americana.

    A impressionante discografia do violoncelista conta com cerca de 50 álbuns, lançados pelas etiquetas Channel Classic, Onyx e EPR, e tem merecido importantes prémios internacionais. O seu duo com o pianista Paolo Giacometti recebeu o Brahmspreis 2019, premiando as inovadoras interpretações de Brahms que culminaram no desafiante projecto de gravação da integral dos duos de Schubert e Brahms. O último dos seis discos foi lançado em Maio de 2019 pela Evil Penguin Records Classic e conquistou excelentes críticas.

    Na sua agenda recente e próxima, destacam-se as interpretações do Concerto Duplo de Brahms com a Sinfónica da Flandres e a Orquestra dos Campos Elíseos; do Concerto para violoncelo de Elgar com a Orquestra de Câmara de Uppsala; da integral das Sonatas para violoncelo de Beethoven no Kings Place (Londres); um recital no Bachfest (Leipzig) com o cravista Mahan Esfahani e recitais pelo mundo inteiro.

    Nascido em Haarlem (Holanda), Pieter Wispelwey estudou com Dicky Boeke e Anner Bylsma em Amesterdão e, mais tarde, com Paul Katz nos Estados Unidos da América e com William Pleeth no Reino Unido. É professor de violoncelo na Robert Schumann Musikhochschule Düsseldorf e no Conservatório de Amesterdão. Toca num violoncelo G. B. Guadagnini (1760) e num Barak Norman (1710).

     


    2021/22

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE