Erich Korngold

Brno, 29 de Maio de 1897 / Hollywood, 29 de Novembro de 1957

  • Erich Wolfgang Korngold teve uma das carreiras mais extraordinárias de qualquer compositor do século XX. Nasceu em Brno, então parte do Império Austro-Húngaro e actualmente capital da Morávia na República Checa, mas cresceu em Viena. Aí, cedo se demonstrou ser uma criança prodígio com um dom extraordinário, ensinado a partir dos dez anos por Zemlinsky, louvado por Mahler e Richard Strauss, e preferido na sua juventude pelos principais solistas e maestros. Quando estava ainda no início dos seus anos vinte, a sua ópera Die tote Stadt tornou-o famoso por toda a Europa. Não obstante, mais tarde a sua carreira parece ter-se esvaído na areia, em grande medida por causa dos inimigos feitos pelo seu pai Julius, que usou a sua posição como principal crítico musical vienense para apoiar Erich com mal-avisado sectarismo. Durante alguns anos, Korngold concentrou-se em adaptar e dirigir operetas de Johann Strauss e outros; então, em 1934, o produtor de teatro Max Reinhardt convidou-o para Hollywood como arranjador da música de Mendelssohn para o seu filme de A Midsummer Night’s Dream (Sonho de Uma Noite de Verão) de Shakespeare. Isso levou-o a abraçar uma nova carreira como um dos mais bem sucedidos e influentes compositores dos estúdios de Hollywood; e quando a Alemanha de Hitler anexou a Áustria em 1938, a família Korngold, judia embora não praticante, construiu um novo lar na Califórnia. Depois da guerra, Korngold desistiu do seu trabalho no cinema e tentou restabelecer-se nos EUA e na Europa como compositor de música de concerto. Mas a sua linguagem musical, inovadora na juventude, praticamente não tinha evoluído, e obteve pouco apreço no mundo radicalmente diferente do pós-guerra. Morreu em Hollywood aos sessenta anos, o último dos Românticos.