Michael Sanderling

Alemanha, 1967

direcção musical

  • O maestro alemão Michael Sanderling inaugura a sétima temporada à frente da Filarmónica de Dresden enquanto Maestro Titular com a Oitava Sinfonia de Mahler, na recente sala de concertos da orquestra.

    Além da posição permanente que ocupa na Filarmónica de Dresden, Michael Sanderling é frequentemente convidado para se apresentar nos principais centros musicais do mundo, dirigindo orquestras de renome como a Orquestra da Gewandhaus de Leipzig, a Orquestra da Tonhalle de Zurique, a Filarmónica de Munique, Orquestra da Konzerthaus de Berlim, Sinfónica de Toronto, Sinfónica Metropolitana de Tóquio e as orquestras das rádios alemãs WDR e SWR.

    Os momentos altos da temporada incluem o convite para dirigir a Filarmónica de Berlim, Orchestre de Paris, Filarmónica de Helsínquia e da República Checa, Orquestra Nacional do Capitólio de Toulouse, Tchaikovsky Symphony Orchestra e Sinfónica de Vancouver.

    Tem-se apresentado regularmente com a Filarmónica de Dresden em digressões na Ásia, América do Sul, Estados Unidos da América, Espanha, Reino Unido, Áustria, Suíça e Alemanha.

    Sob a direcção de Michael Sanderling, a Filarmónica de Dresden está a lançar a integral das sinfonias de Beethoven e Chostakovitch com o selo da Sony Classica, marcando um novo capítulo na sua discografia. Até ao momento, foram editadas as primeiras gravações do ciclo – as Sinfonias n.º 3 e n.º 6 de Beethoven e as Sinfonias n.º 6 e n.º 10 de Chostakovitch.

    Natural de Berlim, Michael Sanderling é um dos poucos artistas que, após uma carreira bem-sucedida enquanto músico de orquestra e solista, conquistou entretanto um lugar de topo como maestro. Em 1987, com apenas 20 anos, tornou-se violoncelo solista da Orquestra da Gewandhaus de Leipzig sob a direcção de Kurt Masur; entre 1994 e 2006, ocupou a mesma posição na Sinfónica da Rádio de Berlim. Enquanto solista, tocou com prestigiados agrupamentos tais como a Sinfónica de Boston, a Filarmónica de Los Angeles e a Orquestra de Paris. Deixou, contudo, de se apresentar como violoncelista há vários anos.

    Foi num ensaio da Orquestra de Câmara de Berlim, em 2000, que Michael Sanderling subiu ao pódio como maestro pela primeira vez. Familiarizado com esse trabalho desde a infância, uma vez que é filho do lendário Kurt Sanderling, foi aceitando cada vez mais trabalhos de direcção e foi nomeado maestro titular e director artístico da renovada Kammerakademie Potsdam em 2006.

    Teve sucesso como maestro de ópera ao dirigir The Fall of the House of Usher de Philip Glass em Potsdam e uma nova produção de Guerra e Paz de Sergei Prokofieff na Ópera de Colónia.

    Como violoncelista e como maestro, gravou em CD obras importantes do repertório, de compositores como Dvořák, Schumann, Chostakovitch, Prokofieff e Tchaikovski. 

    Michael Sanderling tem especial interesse no trabalho com jovens músicos. Lecciona na Universidade de Música e Artes do Espectáculo de Frankfurt e trabalha regularmente com a Bundesjugendorchester, Orquestra de Jovens Jerusalém Weimar, Junge Deutsche Philharmonie e Orquestra do Festival de Schleswig-Holstein. Entre 2003 e 2013 foi Maestro Titular da Deutsche Streichphilharmonie.

    Os seus horizontes musicais vão de Bach e Handel, passando por Beethoven e Chostakovitch, até à música contemporânea, tendo apresentado várias obras em estreia mundial. 


    2017/18