Coro do Círculo Portuense de Ópera

Porto, dezembro 1966

  • Fundado em Dezembro de 1966, o Círculo Portuense de Ópera é uma associação cultural sem fins lucrativos que tem como principal finalidade promover, junto de todas as camadas sociais, o estudo e a divulgação da ópera, especialmente através da realização de espectáculos.

    Das várias óperas apresentadas destacam-se: Norma de Vincenzo Bellini; Carmen de Georges Bizet; Il Filosopho di Campagna de Baldassare Gallupi; Carmina Burana de Carl Orff; Rita, L’Elisir d’Amore e Don Pasquale de Gaetano Donizetti; Orfeu de Christoph Glück; L’Amico Fritz de Pietro Mascagni; Amahl e os Visitantes da Noite de Gian Carlo Menotti; Bastien und Bastienne, Così fan tutte, Don Giovanni, As Bodas de Fígaro e A Flauta Mágica de Wolfgang Amadeus Mozart; Madama Butterfly, La Bohème e Tosca de Giacomo Puccini; O Barbeiro de Sevilha de Gioacchino Rossini; La Traviata, Falstaff e Il Trovatore de Giuseppe Verdi; História da Ressurreição de Heinrich Schütz, realização cénica em estreia nacional.

    Em Julho de 2003, participou na temporada estival de ópera organizada pela Fondazione Arturo Toscanini (Parma, Itália), levando à cena, no castelo medieval de Vigoleno, a cantata cénica Carmina Burana de Carl Örff, merecedora de excelentes críticas do público e dos media.

    A nível de concertos, a actividade do CPO é também muito relevante, pois nos seus programas figuram obras de repertório coral, como o Messias de Georg Friedrich Händel; A Paixão Segundo S. João, Cantata 147 e Cantata 206 de Johann Sebastian Bach; Requiem de Camille Saint-Saëns; Te Deum de Marc-Antoine Charpentier; Missa da Coroação de Wolfgang Amadeus Mozart; 9ª Sinfonia de Ludwig von Beethoven; Rapsódia Coral de Joannes Brahms; Oceanos Cósmicos de Cândido Lima; Llanto por Ignacio Sánchez Mejías de Maurice Ohana; Libera Me de João Domingos Bomtempo (primeira audição mundial); Petite Messe Solennelle de Gioacchino Rossini; Ode Sinfónica a Vasco da Gama de Georges Bizet; Os Planetas de Gustav Holst; Um Requiem pela Humanidade de Jorge Salgueiro (estreia mundial); Mass of the Children de John Rutter (estreia nacional); Portugal – Poema Coral Sinfónico de Pe. Ferreira dos Santos (estreiamundial), Marea Negra de Antón Alcalde (estreia mundial), Canto de Natal do Ribatejo de Luís de Freitas Branco (estreia mundial), Missa Tornacum de André Waignein.

    Do seu repertório fazem ainda parte programas que englobam coros e árias das óperas mais representativas, por isso mesmo genericamente designados “Noites de ópera”. Em Novembro de 2015, actuou na Casa da Música com a Banda Militar do Porto e o grupo transmontano Galandum Galundaina, com harmonizações e interpretação de música tradicional mirandesa. Em Fevereiro de 2016, actuou no Teatro Municipal de Bragança com o mesmo programa.

    Dos maestros com quem o CPO trabalhou são de realçar Gunther Arglebe, Gyula Nèmeth, Garcia Navarro, Manuel Ivo Cruz, Dimitri Kitaenko, Omri Hadari, Eugene Khoen, Marc Tardue, Reynald Giovaninetti, Massimiliano Caldi, Roman Brogli, Roberto Manfredini, Niksa Bareza, Johannes Willig, George Martin, José Eduardo Gomes, José Luís Borges Coelho, Rafa Agulló Albors, Pedro Neves e Capitão Alexandre Coelho.

    A nível de encenadores, refiram-se as colaborações com António Couto Viana, Norma Silvestre, José Cayolla, Denis Krief, Tim Coleman, Joseph Franconi Lee, Jorge Vaz de Carvalho, Mietta Corli, Italo Nunziata, Paul Curran e António Durães.

    De igual modo salientam-se as participações de prestigiados cantores convidados: Plácido Domingo, Elisabete Matos, Paate Burchuladze, Elena Brilova, Denia Mazzola, Palmira Troufa, Paulo Ferreira, Jorge Vaz de Carvalho, entre outros, bem como as parcerias com alguns dos teatros de ópera mais emblemáticos: Teatro Nacional de São Carlos, Teatro alla Scala di Milano, Teatro S.p.A. Treviso, Teatro Comunale di Bologna, Teatro delle Muse di Ancona, Deutsche Opera am Rhein Düsseldorf, Teatro de Ópera de Budapeste, entre outros.

    Em 1 de Outubro de 1985, no Dia Mundial da Música, o CPO foi condecorado pelo Ministério da Cultura com a Medalha de Mérito Cultural, pelos relevantes serviços prestados à música. Em 2001, a Câmara Municipal do Porto atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Cultural – Grau Ouro.

     


    2016