Fado Violado

  • Fado Violado, projeto musical português que cruza o Fado com o Flamenco, nasce em Sevilha no ano de 2008 pelas mãos de Ana Pinhal e Francisco Almeida, e é de resto resultado de uma relação profissional que se iniciou em 2002 no grupo BoiteZuleika.

    Ambos portuenses, desde cedo partilharam o gosto pelas artes, particularmente pela música. Ana Pinhal começou por se dedicar à canção Pop, à Bossa Nova e ao MPB, até que, em 2002 integrou os coros de BoiteZuleika, banda com a qual viria a trabalhar até a sua extinção (2006), participando do disco “Éramos Assim” (2005).

    O desejo de aprender mais leva-a a frequentar aulas de formação musical e canto. O primeiro contacto com o Cante Flamenco foi-lhe proporcionado pelo Francisco, que por esta altura já se interessara pela guitarra flamenca. A curiosidade que aquela arte lhe despertou fê-la deslocar-se para Sevilha onde durante três anos estudou Cante na Fundación Cristina Heeren.

    Surpreendentemente foi em Sevilha, talvez pela saudade, que o fado conquistou o seu coração e foi da comunhão com a guitarra do Francisco que fez nascer Fado Violado. Com este grupo apresentou-se ao vivo em Portugal, Espanha, França e Holanda. Atualmente, além do projeto Fado Violado, é fadista residente na “Casa da Mariquinhas”, no Porto, e no “Fado in Porto”, Caves Cálem, em Vila Nova de Gaia.

    O seu companheiro de palcos, Francisco Almeida, começou a sua aventura musical ainda adolescente, integrando várias bandas de garagem. Começou por tocar baixo elétrico e por cantar, mas foi com a guitarra que as suas primeiras canções se facilitaram. Aos 20 anos a música revelou-se uma opção profissional, os BoiteZuleika logravam algum êxito com “Cão Muito Mau” e os pedidos para concertos multiplicavam-se.

    Nesta altura, o Francisco começou a levar o estudo da música e da guitarra mais a sério. Em 2003 teve o primeiro contacto com a guitarra flamenca, tendo feito, mais tarde, vários workshops e master classes em Córdova e Sevilha. Aos 27 anos rumou de novo a Sevilha onde durante três anos estudou guitarra flamenca também na Fundación Cristina Heeren. Atualmente além de Fado Violado, Francisco Almeida acompanha as classes de baile flamenco da professora Catarina Ferreira, no “Contagiarte”, Porto.


    2016

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE