Marie Lys

soprano

  • Vencedora do Concurso Internacional de Belcanto Vincenzo Bellini 2017, a soprano Marie Lys tem actuado por toda a Europa com maestros como Michel Corboz, Laurence Cummings, Daniel Reuss, Sigiswald Kuijken e Guillaume Tourniaire. Para além das suas participações nos festivais de Ambronay, La Roque d’Anthéron, La Folle Journée e Verbier, apresentou-se também no Wigmore Hall, no Palácio de Buckingham e no Kings Place (Londres), nas Óperas de Lausanne, Vichy e Avignon, na Catedral de Pisa, no Centro Cultural de Belém (Lisboa), no Fórum Internacional de Tóquio e na Sala Yomiuri Otemachi da mesma cidade.

    Marie Lys tem interpretado papéis operáticos como Adelaide em Lotario (Festival Händel de Göttingen), Dalinda em Ariodante (Festival Handel de Londres), Astéria em Tamerlano (Festival de Buxton), Adele em O Morcego, Rainha da Noite em A Flauta Mágica e Clara em La Vie Parisienne (International Opera School do Royal College of Music), Eurilla em Orlando Paladino (Ópera de Fribourg), Galatea em Acis and Galatea (Opéra Louise), Nanetta em Falstaff (Woodhouse Opera) e Lauretta em Gianni Schicchi (Festival de Ópera Les Azuriales). Em 2011, estreou o papel de Mina em Dracula, la symphonie inachevée de Thierry Besançon, na Suíça.

    Marie Lys recebeu o Prémio Michael Normington no Concurso Handel de Canto (Londres, 2016), o 1º Prémio no Concurso Lies Askonas (2016) e o 2º lugar no Prémio Joan Chissell Schumann para voz e piano. Co-fundou o Abchordis Ensemble, em 2011, cujo primeiro disco – Stabat Mater – foi editado em 2016 pela Sony DHM. Com este grupo ganhou o Concurso Göttinger Reihe Historischer Musik (2015). Trabalha regularmente em parceria com o pianista João Araújo, com quem fundou o Duo Dalma. Artista Samling e Solista Migros Cultural Percentage, tem recebido apoios das Fundações Leenaards, Dénéréaz, Colette Mosetti e Friedl Wald e também do Drake Calleja Trust e do Josephine Baker Trust.

    Depois de concluir o Bacharelato em Música na Haute École de Musique de Lausanne com um prémio para o melhor recital, Marie Lys diplomou-se no Royal College of Music com “First Class Honours”, em 2014. Ingressou depois na International Opera School, sob a orientação de Amanda Roocroft, onde se diplomou em 2016 com um Artist Diploma em Ópera. Estuda com Rachel Bersier em Neyruz.

    A sua agenda actual inclui recitais na Suíça com o Duo Dalma; os papéis de Cleópatra em Giulio Cesare (Bury Court Opera, Reino Unido) e Lisa em La Sonnambula (Ópera de Lausanne); os Requiem de Fauré e Mozart com Michel Corboz, o Requiem de Brahms com Daniel Reuss e a Paixão segundo São Mateus de Bach com Laurence Cummings (Festival Handel de Londres). Estreia-se na Casa da Música em Março de 2018 com a Orquestra Barroca Casa da Música.


    2018

  • Obras relacionadas

      • Ordernar por

    • more
x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE