Christopher Park

piano

  • Christopher Park é um pianista que cativa facilmente o público com a sua fascinante mestria técnica, invulgar maturidade musical e um estilo de interpretação particularmente intenso – foi com este elogio que o júri do Festival de Música de Schleswig-Holstein atribuiu a Christopher Park o prestigioso Prémio Leonard Bernstein 2014. Desde então juntou-se à fileira de músicos notáveis como Lang Lang, Lisa Batiashvili e Martin Grubinger, que viram a sua carreira lançada internacionalmente depois de vencerem este prémio.

    Nascido em Bamberg e com raízes germânico-coreanas, Christopher Park tem sido convidado a apresentar-se com importantes agrupamentos, incluindo as Sinfónicas de Viena, de Munique, de Bamberg e das Rádios de Frankfurt e do Norte da Alemanha; a Sinfónica Alemã de Berlim, a Orquestra da Ópera de Frankfurt, a Filarmónica de Magdeburg e a Orquestra de Câmara de Württemberg (Heilbronn); a Orquestra Nacional de Espanha; as Filarmónicas da Galiza, da Cidade do Cabo, de Zagreb, de Seul e do Qatar; a Orquestra do Centro Nacional de Artes Performativas da China (Pequim) e a Sinfónica de Xangai; a Orquestra de Câmara de Lausanne e a English Chamber Orchestra. Em Novembro de 2014, Christopher Park substituiu com grande sucesso Emanuel Ax num concerto com a Orquestra da Rádio do Norte da Alemanha, apenas alguns meses após a sua aclamada estreia em Hamburgo.

    Colaborou com maestros de renome como Christoph Eschenbach, Paavo Järvi, Sebastian Weigle, Ion Marin, Paul Daniel e Dimitri Kitajenko. Tocou na Europa, China, África do Sul e Coreia do Sul, incluindo festivais de música como os de Ravinia, Mecklenburg-Vorpommern, Rheingau, Schleswig-Holstein, San Sebastián (Quincena Musical) e Burgos, além do Festival de Piano de Ruhr.

    É nomeado “Rising Star” da ECHO (European Concert Hall Organisation) para a temporada de 2016/17, uma nomeação que resulta nas suas estreias em importantes salas de concerto europeias em cidades como Londres, Amesterdão, Hamburgo, Viena, Estocolmo, Barcelona, Budapeste e Lisboa.

    Para além das actuações enquanto solista, pelas quais recebeu reconhecimento através de bolsas e vários prémios (entre os quais o Prémio do Festival de Música de Rheingau para novos talentos), Christopher Park dedica-se também apaixonadamente à música de câmara. Estreou-se na Sala Brahms do Musikverein de Viena em 2014 com o Küchl Quartet, do qual fazem parte membros da Filarmónica de Viena. Depois deste concerto, a Orquestra Filarmónica de Viena nomeou-o candidato ao Prémio Credit Suisse. Tocou também com Avi Avital, Richard O’Neill, Leticia Moreno e Adolfo Gutiérrez Arenas e acompanhou a soprano Sumi Jo. Colaborou com o coreógrafo John Neumeier em vários projectos, com repertório como os Três andamentos de Petruchka de Stravinski, as Cenas Infantis de Schumann e suites de Johann Sebastian Bach.

    Lançado com o selo da Oehms Classics, o seu novo CD com obras de Schumann, Stravinski e Neuwirth foi louvado nas revistas europeias como uma “gravação brilhante” ou “versão de referência”.

    Durante a sua formação enquanto pianista, Christopher Park foi influenciado por duas importantes tradições: a escola russa de Lev Oborin, com Lev Natochenny, e a escola alemã de Wilhelm Kempff, com Joachim Volkmann.

     


    2016/2017

  • Obras relacionadas

      • Ordernar por

    • more