Benjamin Schmid

violino

  • Benjamin Schmid é um dos violinistas mais versáteis da actualidade, com um repertório excepcionalmente vasto e um estilo muito pessoal. O núcleo da sua carreia consiste na interpretação de obras de compositores austríacos como Berg, Goldmark, Korngold, Kreisler, Mozart, Muthspiel, Schoenberg e Webern. Toca e grava regularmente com a pianista Ariane Haering, com quem se foca essencialmente em Mozart. Desde 2011, têm editado partituras de sonatas e fragmentos nunca antes publicados deste compositor para a editora Henle Verlag. Schmid tem uma carreira igualmente bem-sucedida no jazz, apresentando regularmente o seu projecto Hommage à Grappeli em salas dedicadas ao jazz e também à música erudita.

    Na temporada de 2017/18, Benjamin Schmid é especialmente activo em Espanha e Portugal e apresenta-se com a Orquestra Sinfónica das Ilhas Baleares sob a direcção de Pablo Mielgo. É Artista em Associação na Casa da Música, interpretando, a partir de Março, quatro concertos para violino de Mozart. Entre outros compromissos, regressa ao Festspielfrühling Rügen e à Orquestra de Câmara de Estugarda e realiza uma digressão com a Sinfónica de Norrköping. No Verão, estreia-se com a Orquestra de Câmara de Israel sob a direcção de Ariel Zuckermann.

    A agenda preenchida de Schmid inclui colaborações regulares com agrupamentos como a Orquestra de Câmara Australiana, a Philharmonia, as Orquestras do Concertgebouw, da Gewandhaus de Leipzig e da Tonhalle de Zurique, as Filarmónicas de Roterdão, São Petersburgo, Nápoles e Árctico (Noruega), a Orquestra da Rádio Finlandesa, as Sinfónicas de Washington e Houston, a Orquestra de Jazz de Nápoles e as orquestras do Curtis Institute. Na Ásia, toca com a Nova Filarmónica do Japão, a Sinfónica de Singapura e a Orquestra do Festival de Hong Kong, entre outras. Desenvolve uma relação de especial proximidade com a Filarmónica de Viena: participou no concerto de abertura do Festival de Salzburgo em 2004 e tocou a versão de Fritz Kreisler do Concerto para violino de Paganini sob a direcção de Valery Gergiev em 2001 (um concerto lançado em CD e DVD pela Deutsche Grammophon e transmitido para mais de 60 países). É também convidado habitual dos principais festivais europeus de música de câmara.

    Benjamin Schmid tem vindo a construir uma extensa discografia que inclui cerca de 40 CD, muitos deles premiados. Ganhou o Prémio ECHO Klassik, foi Escolha do Editor da Gramophone e integrou a Strad Selection. Foi nomeado para o Prémio da Crítica Discográfica Alemã pela gravação do Concerto para violino de Wolf-Ferrari. O seu último álbum com o Concerto para violino de Ligeti foi eleito “Gravação do Mês” pela revista Gramophone.

    Benjamin Schmid ganhou diversos prémios internacionais, incluindo os Prémios Mozart, Beethoven e do Público no Concurso Flesch em 1992.

    Para além da sua carreira enquanto intérprete, lecciona no Mozarteum de Salzburgo e orienta masterclasses na Escola Superior de Música de Berna. Toca com um violino Stradivarius “ex Viotti” de 1718, cedido pelo Banco Nacional da Áustria. Em 2017 integrou o júri do Concurso Internacional de Música ARD, na categoria de violino.


    2018 

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE