Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • Frank Peter Zimmermann é amplamente reconhecido como um dos violinistas mais destacados da sua geração. Aclamado pela sua musicalidade altruísta, brilhantismo e inteligência apurada, tem-se apresentado ao lado das orquestras mais prestigiadas mundialmente, colaborando com os maestros mais reconhecidos. Os seus compromissos levam-no às principais salas de concerto e festivais da Europa, Estados Unidos da América, Ásia, América do Sul e Austrália.

    Entre os momentos altos da temporada 2016/17 incluem-se concertos com a Orquestra Estatal Bávara e Kirill Petrenko, Sinfónica de Boston e Jakub Hrůša, Sinfónica da Rádio Bávara e Yannick Nézet-Séguin, Sinfónica de Göteborg e Eivind Aadland, Philharmonia Orchestra e Juraj Valcuha e Rafael Payare, Filarmónica de Berlim e Alan Gilbert, Orquestra da Rádio Finlandesa e Hannu Lintu, Filarmónica de Nova Iorque e Alan Gilbert, Orquestra Nacional de França e Juraj Valcuha, Berliner Barock-Solisten, Sinfónica de Bamberg e Manfred Honeck, Sinfónica de Viena e Jakub Hrůša e a Orquestra da Academia de Música Russa-Alemã e Valery Gergiev.

    Frank Zimmermann é também um activo músico de câmara e de recital. Com o seu trio de cordas, o Trio Zimmermann (com o violetista Antoine Tamestit e o violoncelista Christian Poltéra), realizou uma grande digressão europeia em Dezembro de 2016.

    Vencedor de inúmeros prémios pelas suas gravações, Zimmermann percorre um amplo e variado leque de repertório, disponível nas editoras BIS Records, Decca, EMI Classics, Sony Classical e ECM Records. Recebeu o Premio del Accademia Musicale Chigiana (Siena, 1990), o Rheinischer Kulturpreis (1994), o Musikpreis da cidade de Duisburg (2000) e a Bundesverdienstkreuz – 1ª Classe (República Federal da Alemanha, 2008).

    Nascido em Duisburg (Alemanha), Frank Peter Zimmermann começou a tocar piano aos 5 anos, apresentando-se pela primeira vez com orquestra aos 10 anos. Estudou com Valery Gradov,

    Saschko Gawriloff e Herman Krebbers. Toca num violino Stradivarius de 1711 “Lady Inchiquin”, cedido gentilmente pela Colecção de Arte da Kunstsammlung Nordrhein-Westfalen (Düsserldorf).

     


    2017 

  • Obras relacionadas

      • Ordernar por

    • more
x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE