Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • 1. Spell ­–

    2. Recit ­–

    3. In the Mirror ­–

    4. Interruptions ­–

    5. Song ­–

    6. Hammers

    7. Alone ­–

    8. Olicantus ­–

    9. Whirling

     

    Esta foi a primeira obra que criei para dança e consiste em nove curtos andamentos fortemente contrastantes em carácter, forma e cor. Os primeiros seis são tocados praticamente sem interrupção, tal como os três últimos, pelo que a peça se divide basicamente em duas partes.

    1. Spell: Uma simples introdução,exclusivamente para cordas agudas divididas, que conduz a um acorde em suspensão para:

    2. Recit: Uma melodia longa e ornamentada partilhada entre os sopros, com o suporte de um fundo harmónico ressoante. A duplicação da melodia em intervalos amplos e paralelos evoca intencionalmente os registos do órgão.

    3. In the Mirror: Um breve andamento polifónico, dividido em duas metades – a primeira legato e lamentosa, a segunda mais enérgica e contundente. Ambas as secções são cânones por inversão – daí o título.

    4. Interruptions: Vários materiais musicais se alternam e sobrepõem neste andamento volátil: floreados virtuosos nas madeiras, acordes pesados nas regiões graves da orquestra, um violento quarteto de trompas, um solo hesitante de oboé… Na sua terceira aparição, um coral lento e distante faz a ligação para:

    5. Song: Um andamento mais fluente, com a linha principal partilhada entre viola solo e trompetes com surdina. Uma mudança abrupta de atmosfera marca a coda, onde um clarinete em mi bemol fica em primeiro plano.

    6. Hammers: Toda a orquestra, usada como uma massa única, está quase por completo colocada num registo agudo. Pulsações monolíticas são desfeitas por mudanças abruptas de andamento enquanto fragmentos melódicos estridentes circulam em hoquetus pelos metais.

    7. Alone: Um contraste completo – uma textura velada, com tessitura mitigada e grave. Uma terceira maior nos trombones graves com surdina leva a:

    8. Olicantus: Um andamento mais longo, também com ambiente reflexivo e escrito para um efectivo de câmara. Um cânone de matiz escuro entre os clarinetes baixo e os violoncelos prefacia três apresentações da mesma melodia simples. A cada recorrência, o tempo abranda consideravelmente enquanto a melodia é harmonizada e ornamentada de formas cada vez mais elaboradas.

    9. Whirling: Um presto muito curto mas enérgico, explorando um jogo de perspectivas que atravessa toda a orquestra, enquanto uma linha melódica, principalmente nos primeiros violinos, trespassa uma massa de diferentes texturas.

     

    [Dance Figures foi uma encomenda do Théâtre Royal de la Monnaie, Orquestra Sinfónica de Chicago (para a série MusicNOW) e festival Musica de Estrasburgo.

    Foi concebido como um bailado com coreografia de Anne Teresa de Keersmaeker e teve a sua primeira produção no Théâtre de la Monnaie em Bruxelas, em Maio de 2006. A estreia mundial em concerto foi realizada pela Orquestra Sinfónica de Chicago sob a direcção de Daniel Barenboim, a 19 de Maio de 2005. A estreia europeia em concerto foi realizada sob a batuta do compositor, com a Orquestra da Rádio SWR, no festival Musica de Estrasburgo em Setembro de 2005.]

     


    George Benjamin

    Tradução: Fernando P. Lima

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE