Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • João Rebelo (1610-1661) foi tutor e, mais tarde, amigo de D. João IV. Face a outros compositores da época, João Rebelo ocupava uma posição privilegiada, já que os seus instintos musicais não se viam toldados pela austeridade e restrições de um cargo sob a alçada da Igreja. Tinha também acesso à grande biblioteca musical do rei, o que o colocava em vantagem relativamente a muitos dos seus contemporâneos ao permitir-lhe o contacto com os novos estilos barrocos que emergiam em Itália e Espanha.

    O Panis Angelicus é uma peça exemplificativa da música de João Rebelo, já que combina o estilo antigo de contraponto com novas influências, reveladas em frases que frequentemente gravitam na direcção da homofonia, ou quase-homofonia. As sete vozes de Rebelo são ainda uma entidade coral única, mas os gestos texturais tornam-se mais dramáticos, deliberadamente mais fragmentados. O motete é caracterizado por uma característica figura descendente em todas as vozes, que ganha relevo com as palavras “dat panis caelicus”. Será fantasioso ouvir o pão sagrado descer dos céus nestas escalas a repicar?


    Alexandra Coghlan, 2015

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE