Primavera, op.136

Jorge Salgueiro , Palmela, 1969

[2006; c.15min]

  • Primavera op. 136 de Jorge Salgueiro celebra a renovação e a paixão. Foi escrita em Janeiro de 2006 para a Festa da Primavera 2006 do Centro Cultural de Belém e estreada pela Banda da Armada sob a direcção de Carlos da Silva Ribeiro.

    Tecnicamente, a obra tem como principais recursos duas melodias tradicionais infantis, séries, hemíolas, improvisação controlada e a exploração tímbrica da desconstrução dos instrumentos. Este tipo de abordagem dos instrumentos é algo que não é estranho no contexto da música contemporânea, mas a forma como Jorge Salgueiro os utiliza, é algo de verdadeiramente novo e original e que marca a sua produção desde 1998.

    Essa renovação e paixão que a obra celebra são abordadas, não apenas pelo seu lado luminoso, mas também pelo lado trágico dos que saem de cena para dar lugar ao novo, pela violência que perfuma o sexo e pela morte que renasce cada vez que a vida começa.  O autor preparou ainda um texto e uma pintura como materiais complementares à compressão do universo do seu opus 136. O poema é dito por Luís Caetano, o dedicatário da obra.

     


    Notas gentilmente cedidas por Jorge Salgueiro. 

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE