• 1. Allegro

    2. Andante

    3. Rondo: Allegretto

     

    Praticamente todos aqueles que estudam ou estudaram piano tocam, já tocaram ou têm um colega que está a tocar a Sonata em Dó maior K. 545. A sonata foi incluída no catálogo das obras de Mozart (elaborado pelo compositor a partir de 1784) a 26 de Junho de 1788 com a designação “Eine kleine klavier Sonate für Anfänger" (Uma pequena sonata para principiantes). Mas quando foi publicada em Fevereiro de 1805, seis anos após o falecimento do compositor, apareceu com o epíteto de “Sonata fácil”.

    É evidente que Mozart concebeu esta sonata como peça didáctica, muito provavelmente para ser estudada pelas suas alunas. De facto, estamos perante uma obra de pequena dimensão, escrita numa tonalidade de fácil leitura para os jovens pianistas em formação e com um grau de dificuldade técnica não muito elevado.

    O Allegro da Sonata em Dó maior K. 545 destaca-se pela simplicidade e ingenuidade dos temas e pela cascata de escalas e arpejos. O Andante é um exemplo muitíssimo bem escrito do estilo galante. Os efeitos de eco e as deambulações (ascendentes, descendentes e em cromatismos) em semicolcheias da mão direita que preenchem o Rondó: Allegretto final conferem-lhe uma boa disposição e uma bonomia contagiantes.

     


    Ana Maria Liberal, 2017