Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • Modest Mussorgski revelou dotes precoces como pianista, mas foi direccionado para uma carreira militar. O apoio dos colegas do Grupo dos Cinco foi fundamental para a decisão de Mussorgski em prosseguir a actividade de compositor e rescindir as ocupações militares. Seria forçado, por dificuldades financeiras, a voltar a cargos civis, mas a música seria a sua vocação principal. Crises emocionais e problemas de alcoolismo levantaram, no entanto, entraves sérios a um percurso criativo fértil em termos de variedade de géneros musicais abordados e de originalidade estilística.

    A temática do poema sinfónico Uma Noite no Monte Calvo, a representação de um ritual de bruxas em vésperas do dia de S. João, já terá interessado Mussorgski em finais da década de 1850. A inspiração poderá ter vindo de fontes literárias russas que retratavam este ritual, de Nikolai Gogol ou Georgiy Mengden . Só em 1867 Mussorgski terá começado a compor a obra (terminada no mesmo ano), que descreveu a Rimski-Korsakoff como “uma realização realmente russa e original”. Mas a partitura foi duramente criticada por Balakirev, que se recusou a dirigi-la, levando Mussorgski a não persistir na sua apresentação, e a reutilizar os seus materiais em outros projectos. Depois da morte de Mussorgski, os manuscritos das várias versões foram trabalhados por Rimski-Korsakoff, que criou a sua própria versão, mas suprimindo o cariz telúrico e visceral das opções composicionais e da orquestração de Mussorgski. Foi, no entanto, a versão de Rimski-Korsakoff que tornou a obra conhecida do grande público (fez parte da banda sonora do filme Fantasia, produzido por Walt Disney). A versão original de Mussorgski foi mais tarde recuperada, e teve a sua estreia apenas em 1932.

    Segundo a descrição de Mussorgski numa carta da altura, a obra representaria uma sequência de acontecimentos iniciada pela reunião e conversa das bruxas, seguida da viagem de Satanás e sua proclamação na assembleia, terminando pela celebração da missa negra. Há efectivamente uma correspondência programática entre esta sequência e os conteúdos musicais. Assim, o frenesim dos violinos no Allegro feroce inicial representa a presença e agitação dos espíritos, e alterna com uma fanfarra nos metais que anuncia e convoca a reunião dos espíritos maléficos. Os temas que se seguem são claramente influenciados pelo carácter das danças tradicionais, com ritmos marcados e obstinados, numa possível alusão aos rituais e danças da missa negra. O compositor constrói até ao final uma sucessão de sucessivos crescendos, cada vez mais agitados, representativos de um recrudescer do frenesim e do caos da cerimónia.

     


    Helena Marinho, 2016

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE