Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • 1. Allegro

    2. Menuetto: Maestoso – Trio

    3. Adagio cantabile

    4. Presto 

     

    Uma Piada Musical (Ein musikalischer Spass)foi concluída em Viena a 14 de Junho de 1787. Aí se encontrava então Mozart, após o seu despedimento da corte de Salzburgo. Na cidade, era um profissional independente mas procurava um cargo que lhe pudesse garantir alguma estabilidade financeira. Sem um empregador fixo, foi obrigado a manter uma intensa e variada carreira de professor, compositor e pianista. O casamento em 1782, uma família para sustentar e dívidas crescentes associadas ao jogo, às conquistas amorosas e a um estilo de vida perdulário determinaram a sua carreira. Assim, apesar do contexto de escrita de Uma Piada Musical ser desconhecido, é possível quetenha resultado de uma encomenda para uma apresentação privada.

    Uma piada musical satiriza as convenções musicais do Classicismo. A obra apresenta uma organização semelhante à da sinfonia, com quatro andamentos contrastantes. O primeiro andamento, Allegro, baseia-se na oposição de dois grupos temáticos de acordo com a forma allegro de sonata. O grupo temático inicial é cinético e afirmativo, enquanto o segundo é lírico e cantabile, recorrendo pontualmente ao contraponto e ao chamado “baixo de Alberti”. Contudo, se a forma é tradicional, enquadrando-se numa abordagem mais convencional e menos subtil quando comparada com outras obras de Mozart, o conteúdo é um distanciamento irónico da estética mozartiana. Por exemplo, a repetição é um elemento constitutivo da retórica clássica. No primeiro andamento da peça, é exagerada ao ponto de caricatura, transformando a previsibilidade em monotonia.

    O segundo andamento encontra-se numa textura de dança e na forma Minueto-Trio-Minueto. As acentuações denunciadas e o recurso a uma forma particular de contraponto retiram a elegância galante da dança. Paralelamente, as dissonâncias entre as trompas e as cordas satirizam uma abordagem canhestra à orquestração.

    O andamento lento, Adagio cantabile, valoriza o aspecto melódico e parodia a cadência associada aos concertos solistas. Por um lado, as cadências ocorrem normalmente em andamentos rápidos. Por outro lado, esta apresenta um virtuosismo exagerado e sem rumo, num piscar de olho ao público.

    A obra termina com um andamento em forma rondó-sonata no qual o desfasamento entre perguntas e respostas e o adensamento do contraponto são mecanismos de acumulação de tensão, que atinge o clímax na cadência dissonante final. 

     


    João Silva, 2017 

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE