Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • O fascínio de Franz Liszt pelas temáticas espirituais, esotéricas e religiosas atravessa várias das suas obras programáticas, destacando-se as Valsas Mephisto, a Sinfonia Fausto, Harmonies Poétiques et religieuses e Csárdás Macabre, para citar apenas alguns exemplos. O modo como transpôs para música cenários e mundos como o de Fausto representa, mais do que um simples exercício musical, essa luta espiritual, humana, entre o bem e o mal, entre o que está escondido nas profundezas mais macabras e a luz que desejamos alcançar.

    As quatro Valsas Mephisto foram compostas por Liszt em diferentes momentos da sua vida, ficando essencialmente popularizadas no repertório pianístico, embora as duas primeiras tenham sido inicialmente compostas para orquestra e depois adaptadas para piano. A inspiração para o programa veio da obra Fausto de Nikolaus Lenau, publicada em 1836, cuja versão focava a morte de Fausto e a entrega da sua alma ao diabo, de acordo com o pacto que havia realizado. Por isso ouvimos nas valsas vários elementos macabros, de sedução e de um certo erotismo latente.

    A Valsa Mephisto n.º 2 foi composta cerca de 20 anos após a primeira, entre 1878 e 1881, incorporando a linguagem harmónica e orquestral de um compositor em plena maturidade. Foi dedicada ao compositor francês Camille Saint-Saëns, autor da Dança Macabra composta anos antes. Na realidade, este facto é relevante porquanto Liszt utiliza aqui uma linguagem musical e texturas orquestrais mais intensas e cruas do que na primeira Valsa. Um dos aspectos inovadores é a harmonia e o tratamento tonal que, segundo alguns especialistas na sua obra, antecipa linguagens musicais que chegariam apenas com Bartók ou Scriabin. O modo como inicia e termina a obra com um trítono (si-fá) que não resolve harmonicamente, enquanto símbolo da inquietação e do próprio mal, marca o percurso musical que Liszt nos faz percorrer.

     


    Pedro Russo Moreira, 2017 

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE