Andreas Staier (Alemanha, 1955) - Artista em Associação

A inegável mestria musical de Andreas Staier revela-se na interpretação do repertório barroco, clássico e romântico em instrumentos de época. Presença regular na programação da Casa da Música há vários anos, a sua primeira colaboração com a Orquestra Barroca data de 2009 e deu origem a um disco com Concertos de Haydn, gravados ao vivo na Sala Suggia.

Em 2018, a presença de Andreas Staier é um dos grandes atractivos do festival À Volta do Barroco, onde interpreta dois Concertos para cravo de Carlos Seixas com a Orquestra Barroca, como solista e maestro, além de sonatas de Scarlatti, concertos de William Corbett e Avison/Scarlatti e uma obra de Luigi Boccherini. Mas a sua colaboração vai para além dos concertos no Porto e estende-se às digressões, apresentando este mesmo programa na Ópera de Dijon, na BASF em Ludwigshafen am Rhein, na Konzerthaus de Viena e nas Noites de Queluz em Sintra. Por outro lado, toca pela primeira vez como solista ao lado do Remix Ensemble, numa digressão pelo Norte da Europa que passa pelo deSingel em Antuérpia e pela Kölner Philharmonie em Colónia.

Andreas Staier nasceu em Göttingen, em 1955, e estudou piano moderno e cravo em Hanôver e Amesterdão. Durante três anos, foi cravista do Musica Antiqua Köln, com o qual fez numerosas gravações e digressões. Como solista, toca por toda a Europa, EUA e Ásia com orquestras como Concerto Köln, Freiburger Barockorchester, Akademie für Alte Musik Berlin e Orchestre des Champs-Elysées em Paris. Em 2017 fez uma série de concertos no Brasil com a Orquestra Sinfónica do Estado de São Paulo. É frequentemente solista convidado da BBC. A sua parceria com o tenor Christoph Prégardien deu origem a numerosas gravações de Lieder, todas aclamadas pela crítica internacional. É Artista Associado da Ópera de Dijon desde Setembro de 2011 e prossegue com a sua colaboração com o compositor Brice Pauset, que inclui a estreia mundial da obra Kontra-Sonate (gravada para a AEON) e a interpretação do Kontra-Concert com a Freiburger Barockorchester.

A sua extensa discografia para as editoras BMG, Teldec Classics e harmonia mundi France conquistou os prémios mais importantes da crítica internacional, incluindo o Diapason d’or, o Preis der Deutschen Schallplattenkritik e o Gramophone Award. O disco de obras alemãs e francesas do século XVII para cravo, ...pour passer la mélancolie, deu-lhe o segundo Gramophone Award em 2013. O seu disco mais recente é dedicado a música de Schubert para quatro mãos com o pianista Alexander Melnikov. Andreas Staier é residente no Wissenschaftskolleg de Berlim entre Setembro de 2017 e Julho de 2018.