Os Nossos Concertos

Cada concerto é uma proposta musical diferente. Variam os instrumentos, os estilos, as formações, os contextos, as temáticas, os públicos, mas todos estes espectáculos são peças de um puzzle que tende para o infinito – o trabalho continuado e inclusivo do Serviço Educativo. Conceitos distintos dão origem a tipologias distintas, de festas a performances, de maratonas a concertos encenados. Celebra-se a liberdade de criar, comunicar e partilhar. Convoca-se o mundo e os seus mundos para o palco. Envolvem-se comunidades, constroem-se projectos ao alcance de todos, une-se labor e brincadeira. O que se segue é um vasto leque de produções originais, destinadas a público a partir dos seis anos, ideais para escolas e propiciando sempre um contacto muito positivo com a música.

  • Pica-Pau Amarelo

    Sexta 18 de Outubro · 11:00 e 14:30 · Sala 2

    Escolas do ensino básico e secundário

    € 3

     

    Sábado 19 de Outubro · 16:00 · Sala 2

    Famílias e público geral (> 6 anos)

    € 8 · € 6 (< 30 anos)

    Viajamos até ao mundo mágico do Sítio do Pica-Pau Amarelo de Monteiro Lobato e ao seu universo entre o bucólico e o mágico. Exploram-se os sons da natureza, os ritmos da música do Brasil, a riqueza do vocabulário. Sublinha-se a importância das ideias, da identidade. Ao longo do espectáculo, a música é a imagem do Sítio: apela à participação, à dança, ao sentir da sua pulsação irresistível.

     

    Mário João Alves direcção artística e interpretação

    Alexandre Reis e Ângela Marques interpretação

    Ópera Isto co-produção


    Sessões
  • Acaba a Sopa!

    Quinta 14 de Novembro · 11:00 e 14:30 · Sala 2

    Escolas do ensino pré-escolar

    € 3

     

     

    Sexta 15 de Novembro · 11:00 e 14:30 · Sala 2

    Escolas do ensino básico (até ao 2º ciclo)

    € 3

     

    Sábado 16 de Novembro · 16:00 · Sala 2

    Famílias e público geral (> 6 anos)

    € 8 · € 6 (< 30 anos)

    Às vezes não é fácil terminar a sopa e, enquanto a criança tenta fazê-lo, a imaginação voa e transporta-a para mundos onde tudo é possível. Com a ajuda de quatro músicos e uma bailarina, os mais novos são, nesse tempo suspenso, levados a compositores como Philip Glass ou The Beatles para, através de ritmos e melodias, entenderem o processo de criação musical.

     

    Fundação “la Caixa” produção 


    Sessões
  • Noah

    Sexta 13 de Dezembro · 11:00 e 14:30 · Sala 2

    Escolas do ensino básico e secundário

    € 3

     

    Sábado 14 de Dezembro · 16:00 · Sala 2

    Famílias e público geral (> 6 anos)

    € 8 · € 6 (< 30 anos)

    A história da Arca de Noé, contextualizada num mundo em desmoronamento devido à acção do homem, é o ponto de partida de Noah, que propõe uma viagem por vários territórios e sonoridades, revelando a Arca enquanto metáfora da convivência e da diversidade. Violoncelo, flautas, saxofone, electrónica e vozes são alguns dos recursos sonoros e o discurso musical navega também ele por zonas mais e menos prováveis, espelhando a voz de cada um dos jovens (crianças e adolescentes) envolvidos no projecto.

     

    Paulo Maria Rodrigues direção artística, música e texto

    Companhia de Música Teatral interpretação


    Sessões
  • O Olho Esquerdo de Júlio Verne

    Sexta 10 de Janeiro · 11:00 e 14:30 · Sala 2

    Escolas do ensino básico e secundário

    € 3

     

    Sábado 11 de Janeiro · 16:00 · Sala 2

    Famílias e público geral (> 6 anos)

    € 8 · € 6 (< 30 anos)

    A cabeça de Júlio Verne vai da Terra à Lua num piscar de olho. Percorre o fundo do mar num piscar de olho. Desce ao centro da terra num piscar de olho. A cabeça de Júlio Verne não pára de viajar e o seu olho esquerdo não pára de piscar. Preparados para apanhar boleia em mais uma incrível viagem de Júlio Verne? OK, mas atenção: olhos bem abertos! Um, dois, três – o olho esquerdo de Júlio Verne está pronto: partida!

     

    Mário João Alves concepção e direcção artística

    Ópera Isto co-produção


    Sessões
  • Viagem: à Lua e não só!

    INVICTA.MÚSICA.FILMES

    Sexta 14 de Fevereiro · 11:00 e 14:30 · Sala 2

    Escolas do ensino básico e secundário

    € 3

     

    Sábado 15 de Fevereiro · 16:00 · Sala 2

    Famílias e público geral (> 6 anos)

    € 8 · € 6 (< 30 anos)

    O cinema e a música como pilares de uma ponte centenária para onde podemos ir contemplar a lua de um modo novo. Em 1902, Georges Méliès, um pioneiro do cinema francês, realizou A Viagem à Lua, filme mudo de pendor fantástico e surrealista que viria a influenciar os caminhos da ficção científica. Hoje olhamo-lo inevitavelmente com outros olhos – e também já o podemos ouvir. A música, criada para as imagens e tocada em paralelo à projecção, reflecte essa leitura contemporânea do clássico, que assim se torna novo de novo.

     

    Worten Digitópia direcção artística

    Jorge Queijo, Óscar Rodrigues e Paulo Neto interpretação


    Sessões
  • Printemps

    Sexta 13 de Março · 11:00 e 14:30 · Sala 2

    Escolas do ensino básico e secundário

    € 3

     

    Sábado 14 de Março · 16:00 · Sala 2

    Famílias e público geral (> 6 anos)

    € 8 · € 6 (< 30 anos)

    A chegada da Primavera celebra-se com música. Canções que lembram o campo, as aves e as cores da Natureza nesta estação do ano. Das melodias renascentistas ao jazz, de Debussy à chanson française, vamos percorrer os perfumados caminhos da Primavera. Tendo como base uma criação do Serviço Educativo para o Tokyo Bunka Kaikan, Printemps é uma ode à renovação.

     

    Bruno Estima, Joana Araújo, Jorge Queijo, Paulo Neto e Tiago Oliveira direcção musical e interpretação


    Sessões
  • La Balle Rouge

    Sexta 15 de Maio · 11:00 e 14:30 · Sala 2

    Escolas do ensino básico e secundário

    € 3

     

    Sábado 16 de Maio · 16:00 · Sala 2

    Famílias e público geral (> 6 anos)

    € 8 · € 6 (< 30 anos)

    Como por magia, formas geométricas de espuma ganham vida e tornam-se personagens reais. A Bola Vermelha traça os diferentes estágios da vida amorosa, desde o encontro até o nascimento de uma criança. Sem palavras, esta ópera visual desenvolve com intensidade uma paleta subtil de emoções carregadas pelas melodias do acordeão. Sem palavras, este teatro de objectos é um convite ao imaginário, onde todos podem encontrar uma parte da sua vida.

     

    Compagnie Balle Rouge produção

    Denis Garenaux, Franck Jublot e Fred Ferrand interpretação 


    Sessões
x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE