Hot Spots

Dispersos pela Casa, equipamentos e instalações interactivas convidam a viver o espaço e a música com criatividade. De utilização livre, são oportunidades de realização e descoberta sonora, sob suporte tecnológico amigável, ao alcance de todos. Ocupar o palco vazio de Sonorium, onde o movimento se traduz em som, ou explorar peças e instalações saídas das oficinas da Digitópia, em hot spots temporários, são as possibilidades em aberto que permitem experiências pontuais ou regulares, individuais ou de grupo. Em todos os casos, recomenda-se: por favor, mexer.

 

  • Sonorium

    Jorge Prendas e Pedro Augusto concepção

    Jorge Prendas recolha sonora

    Pedro Augusto implementação

    Tiago Ângelo desenvolvimento e programação do Sonorium

    Digitópia Casa da Música projecto

    Dois passos e rebenta a babel das metrópoles. Ou forma‑se uma orquestra de rua. Um aceno ligeiro e do metro de Tóquio fica o disparo sonoro, aterra-se num concerto europeu, bate a chávena do café no prato. Tudo depende do que está programado no Sonorium, que este ano está cosmopolita, com bagagem para cinco experiências novas. O conceito mantém-se: neste instrumento virtual electrónico, a dinâmica simples do corpo desperta no imediato registos audíveis.

    Onde nada parece existir cabem agora cidades de todo o mundo, atmosferas melódicas e disruptivas. Num espaço limitado por câmaras de infravermelhos, os movimentos são escutados e transformados graças ao Sonorium (software original acessível online em digitopia.github.io/ Sonorium) com arquivos musicais e sonoros temáticos. Desenham-se assim cinco instalações distintas, de funcionamento mensal.

    Projecto nascido na Digitópia, o Sonorium é acessível a qualquer pessoa, incluindo quem tem mobilidade reduzida. Ao utilizador pede-se apenas movimento para se desenvolverem coreografias ligeiras ou profundas. Paragens estratégicas permitem criar loops ou ambientes sonoros com ADN urbano.

    Regime Livre todos os dias, excepto quando existam workshops, O acesso é gratuito, devendo ser solicitado na bilheteira.

  • Musique Concrète

    “Apprendre un nouveau solfège par des écoutes systématiques d’objets sonores de toute espèce”. O compositor francês Pierre Schaeffer elevou os sons da vida quotidiana à cultura musical, ao tratamento equivalente com os instrumentos e formas musicais ditas convencionais. Esses sons, concretos, perdem o referente pela repetição e pela implementação no espaço do Sonorium. Foram recolhidos entre uma corrida de bicicleta em Hamburgo e um café no mercado do Bolhão.

     

    Utilizadores: 2–4

    Os visitantes podem fixar-se em algumas das 16 posições do espaço (grelha de 4×4), para accionar loops rítmicos.

  • Hot Spots Temporários

    À disposição do público estão peças e instalações sonoras desenvolvidas nas oficinas da Digitópia, onde se ensaiam novos paradigmas de realização musical sob base tecnológica. Partilham-se, assim, experiências de criação que se lançam por terrenos virgens da música.

    Seja qual for o grau de complexidade inerente à concepção destes equipamentos, todos respeitam o mesmo princípio: ao utilizador final têm de chegar com simplicidade, decorrendo a sua exploração fácil e intuitivamente.

    Hoje é um, amanhã será outro. Sem ficarem em permanência, estes hot spots deixam na Casa a marca de trajectos precursores. 

     

    Regime Livre O acesso é gratuito, devendo ser solicitado na bilheteira


    Sessões