Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • Aclamada pelos críticos do mundo inteiro pela sua dinâmica vocal e bravura interpretativa, a soprano italiana Maria Luigia Borsi construiu uma carreira que a tem levado aos palcos da Europa, da Ásia e dos Estados Unidos da América. Começou a carreira com o papel de Liù em Turandot (Teatro alla Scala, Milão). Rapidamente se estreou em Veneza, na histórica reabertura do Teatro La Fenice, no papel de Violetta em La Traviata, sob a direcção de Lorin Maazel.

    Apresentou-se nos Festivais de Salzburgo (Otello), Zurique (La Traviata) e Les Chorégies d’Orange (Turandot), na Philharmonie de Berlim (Suor Angelica), na Ópera Alemã de Berlim (La Bohème), no Gran Teatre del Liceu em Barcelona (La Bohème), no Teatro Nacional de Tóquio (Così fan tutte e Otello), na Arena di Verona (Carmen), na Ópera Real Dinamarquesa (Madama Butterfly e La Bohème) e nas Óperas de Pittsburgh (Madama Butterfly), Gotemburgo (Le nozze di Figaro) e Novaya de Moscovo (Il Trovatore). Colaborou com as Sinfónicas de Londres, Viena, Israel, Munique, Roterdão, Tóquio e Seul, a Orquestra de Câmara Escocesa e a Sinfónica Alemã de Berlim.

    Tem trabalhado com prestigiados maestros como Riccardo Muti, Zubin Mehta, Lorin Maazel, Myung-Whun Chung, Marcello Viotti, Michel Plasson, Alain Lombard, Marco Armiliato, Yannick Nézet-Séguin, Andrés Orozco-Estrada, Pablo Heras-Casado, Carlo Rizzi, Ramon Tebar, Giordano Bellincampi, Enrique Mazzola, Donato Renzetti e Maurizio Benini; e encenadores como Franco Zeffirelli, Hugo de Ana, Damiano Michieletto, Stephen Langridge, Graham Vick, Jürgen Flimm, Pier Luigi Pizzi, Mario Martone, Daniele Abbado, Giancarlo del Monaco, Nicolas Joel e Robert Carsen.

    Fez o seu recital de estreia no Wigmore Hall de Londres, em 2010. Tem sido requisitada internacionalmente para interpretar o repertório sinfónico e operático. Desenvolveu uma longa parceria artística com o maestro Lorin Maazel (mais de 40 concertos), interpretando principalmente a Nona Sinfonia de Beethoven e a Messa da Requiem de Verdi. Canta também obras como Il Tramonto de Respighi, La Dame de Monte-Carlo de Poulenc, Quatro Últimas Canções de R. Strauss, Chants d’auvergne de Canteloube e as Sinfonias n.os 2 e 8 de Mahler.

    Um dos momentos altos da sua carreira aconteceu no concerto de abertura da Expo Milão, onde partilhou o palco com a Orquestra do Teatro alla Scala, o pianista Lang Lang, a soprano Diana Damrau, o tenor Francesco Meli, o barítono Simone Piazzola e o maestro Marco Armiliato. Destaca-se ainda a apresentação de Tosca com a Filarmónica de Londres. Em 2019, tornou-se membro da Academia Global de Verão Chigiana de Siena. Foi convidada especial num novo programa televisivo, Now Hear This, transmitido nos Estados Unidos da América.

    A discografia de Maria Luigia Borsi inclui uma gravação ao vivo de Don Giovanni de Mozart com Zubin Mehta (Helicon), um DVD ao vivo da Nona Sinfonia de Beethoven com Lorin Maazel (Kultur), Turandot de Puccini (Fenice), Carmen de Bizet com Franco Zeffirelli, a ópera Maometto II de Peter von Winter (Marco Polo) e o seu primeiro álbum a solo, Italian Soprano Arias, com a Sinfónica de Londres e direcção de Yves Abel (Naxos).

    Maria Borsi nasceu em Sora (Itália) e estudou com Antonietta Stella, Lucia Stanescu, Claudio Desderi e Renata Scotto.

     


    2022

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE