Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • 1. Sonhos e paixões

    2. Um baile

    3. Cena nos campos

    4. Marcha para o suplício

    5. Sonho de uma noite de Sabbat

     

    A Sinfonia Fantástica de Berlioz é, a todos os níveis, um feito extraordinário. É a primeira sinfonia de um jovem estudante, ainda aluno do Conservatório, mas demonstra uma audácia e capacidade de inovação surpreendentes, a par de uma mestria de orquestração genial. Há quem defenda que é a mais notável primeira sinfonia de um compositor. Os seus primeiros esboços remontam a 1819, teria Berlioz 16 anos de idade, mas a Sinfonia só foi estreada em 1830. Nesse hiato, decorreram episódios na vida do artista que foram determinantes para a criação desta sua obra-prima. O mais determinante decorreu a 11 de Setembro de 1827. Berlioz foi assistir à peça teatral Hamlet, de Shakespeare, em cena no Teatro Odéon em Paris, na produção de uma companhia inglesa. O elenco de actores incluía os famosos Edmund Kean e Charles Kemble, para além de uma jovem de 27 anos no papel de Ofélia, Harriet Smithson. Berlioz ficou loucamente apaixonado por ela desde esse dia e passou por uma forte obsessão em relação à artista. Escreveu-lhe por diversas vezes, tentou encontrar-se com ela, mas nunca obteve sucesso. Os rumores sobre a relação da actriz com outros homens, nomeadamente o seu agente, perturbaram Berlioz sobremaneira mas despoletaram, simultaneamente, o seu espírito criativo. Numa carta que escreveu ao poeta e seu amigo Humbert Ferrand, descreveu o plano dramático da obra que tinha em mãos: “…um artista, abençoado por uma imaginação prodigiosa, apaixona-se por uma mulher que incorpora os ideais de beleza e fascinação que ele sempre procurou (…) Ele pensa que há esperança; acredita estar apaixonado. Mais tarde, numa crise de desespero, ele droga-se com ópio, mas o narcótico, em vez de o matar, provoca-lhe uma alucinação horrível. Pensa que, tendo assassinado a sua amada, é condenado à morte e assiste à sua própria execução. Após a sua morte, vê-se rodeado por uma assembleia de feiticeiros e bruxas (…) A sua amada é agora uma prostituta que irá tomar parte dessa orgia.”

    A Sinfonia foi estreada a 5 de Dezembro de 1830. Dois anos mais tarde, após a sua estadia em Roma como bolseiro da Academia Francesa, Berlioz regressou com uma nova versão da Sinfonia. Depois da estreia, onde o próprio compositor integrou a orquestra como percussionista, conheceu finalmente Harriet e os dois casaram a 3 de Outubro de 1833. O casamento foi um desastre que durou até ao Verão de 1844. Berlioz sustentou a actriz até à data em que esta morreu, em 1854, vítima de doenças provocadas pelo alcoolismo. Duas outras obras do compositor prestam homenagem a este amor: a sinfonia Romeu e Julieta e a canção A morte de Ofélia.


    Rui Pereira, 2012

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE