Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • Dono de uma “desenvoltura cénica e vocal” e de uma “voz maleável e bem posicionada”, Tiago Matos afirma-se como um “sólido barítono”, segundo a crítica. Chegou à Ópera Nacional de Paris em 2012, pelo Atelier Lyrique, onde protagonizou Don Giovanni de Mozart. A estreia no elenco principal aconteceu dois anos depois com Fiorello (Il Barbiere di Siviglia de Rossini). Seguiram-se Un Chevalier (Le Roi Arthus de Chausson) e Il Marchese d’Obigny (La Traviata). Também na música de Verdi foi Un Députée Flamand (Don Carlos) e Il Conte di Ceprano (Rigoletto). O papel mais recente com a Académie de l’OnPFrank em Die Fiedermaus de J. Straussvaleu-lhe os maiores elogios. Entre outras interpretações, destaque para Le Dancaïre e Moralès, em Carmen de Bizet; Mercutio, em Roméo et Juliette de Gounod; L’Horloge Comtoise e Le Chat, em L’Enfant et les Sortilèges de Ravel; e, novamente, o papel principal em Don Giovanni, no Estates Theatre (Praga).

    Tiago Matos foi vencedor do primeiro prémio no VI Concurso de Canto da Fundação Rotária Portuguesa. Em concerto actuou com a Orquestra Gulbenkian em “Composing for Voices with Luís Tinoco”, e foi solista em obras como Lieder Eines fahrenden Gesellen de Mahler, 9.ª Sinfonia de Beethoven e Requiem de Fauré.

    Licenciado em Música pela Universidade de Aveiro, Tiago Matos teve entre os seus principais professores Isabel Alcobia e António Chagas Rosa, além de Sherrill Milnes e Maria Zouves, com quem se cruzou na VOICExperience Foundation, nos Estados Unidos. Actualmente aperfeiçoa-se com Michelle Wegwart.

    Fundou a Plateia Protagonista, uma associação cultural e educacional centrada na promoção da ópera e da música clássica, que, entre outros projetos, criou o “Ópera Connosco Marvila!”, destinado a jovens de bairros desfavorecidos de Lisboa, e onde, em 2021, interpretará o sargento Belcore, em L’Elisir d’Amore de Donizetti.

    Depois da participação no Operafest (Lisboa), em 2020, onde estreou óperas de jovens compositores portugueses, Tiago Matos será Guglielmo na ópera Così fan tutte de Mozart, no Coliseu do Porto. Apresenta-se no Festival Informal de Ópera de Braga, canta com a Orquestra Barroca Casa da Música sob a direcção de Laurence Cummings e é convidado como solista para interpretar o Requiem de Mozart ao lado da Orquestra Clássica do Centro. Também este ano, apresenta-se em recital com o trio À la Joie! no Festival Internacional de Música de Marvão.


    2021

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE