Error loading MacroEngine script (file: artista-header.cshtml)
  • André Gaio Pereira foi nomeado Prémio Maestro Silva PereiraJovem Músico do Ano 2017, uma das mais prestigiadas distinções em Portugal, e segue uma versátil carreira como solista, músico de câmara e de orquestra.

    Das suas actuações a solo destacam-se aquelas com a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Metropolitana de Lisboa, a Orquestra Clássica do Sul, a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, a Orquestra Filarmonia das Beiras e a Sinfonietta de Ponta Delgada, e colaborações com os maestros Christoph Poppen, Jean-Sébastien Béreau, Nuno Coelho e José Eduardo Gomes, no Festival ao Largo, no Festival Internacional de Música de Marvão e no Festival dos Canais. Do outro lado da orquestra, colabora com a London Symphony Orchestra, a English Chamber Orchestra e o Remix Ensemble e ocupa a posição de 2.º Concertino convidado na Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. Estas colaborações, em conjunto com parcerias de música de câmara com o Nash Ensemble e o Doric Quartet, levaram-no em digressão por Japão, Tailândia, China, Itália, Alemanha, Suíça, França e Áustria, apresentando-se em algumas das mais prestigiadas salas de espectáculo do mundo e sob a regência de maestros como Valery Gergiev, Bernard Haitink, Semyon Bychkov e Michael Tilson Thomas.

    Concluiu, em 2016, a sua Licenciatura na Royal Academy of Music (Londres), distinguido como melhor aluno do curso, e dois anos depois o Mestrado em Performance, na mesma instituição. Durante os estudos, foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e da prestigiada ABRSM, enquanto aluno dos professores Remus Azoitei e Levon Chilingirian.

    O Quarteto Tejo, agrupamento vencedor do Prémio Jovens Músicos 2019 e do qual é membro fundador e 1.º violino, é um dos seus mais recentes projectos. No âmbito da música de câmara participou nos festivais Mendelssohn on Mull, Cistermúsica, Festival Estoril Lisboa, Dias da Música e Festival Jovens Músicos. Complementando a sua actividade, explora novas aventuras musicais e artísticas, incluindo os seus arranjos para violino solo da música de Carlos Paredes e a edição do seu primeiro livro de poesia, publicado em 2020.

     


    2020/21 

x
A Fundação Casa da Música usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras. Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Política de Privacidade" abaixo.

Para obter mais informações sobre cookies e o processamento dos seus dados pessoais, consulte a nossa Política de Privacidade e Cookies.
A qualquer altura pode alterar as suas definições de cookies através do link na parte inferior da página.

ACEITAR COOKIES POLÍTICA DE PRIVACIDADE